segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Ajude o Google a desenvolver ferramentas para o Raspberry Pi


O Google trará novidades para o mundo maker esse ano. Suas intenções envolvem criar ferramentas como por exemplo para IA e machine learning para disposição dos makers.

Para tanto, a empresa quer a ajuda da comunidade que deverá responder uma enquete.

As perguntas são todas em inglês, entre elas se você se considera maker e idade.

Você pode responder as perguntas aqui.

Fonte: https://www.raspberrypi.org/blog/google-tools-raspberry-pi/

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Raspberry Pi 3 passa a ser fabricado também no Japão

Raspberry Pi 3 japones

Na entrevista de Eben Upton sobre o futuro do Raspberry Pi, já era revelada sua intenção de distribuir a placa em outros países da Europa, Austrália e Japão. 

No último mês de dezembro, os primeiros Raspberry Pi's 3 fabricados no japão começaram a surgir. Ele é fabricado pela Sony (como no Reino Unido), na cidade de Inazawa.

Ao que parece somente o Raspberry Pi 3 está sendo produzido nessa fábrica. 

Atualmente o Raspberry Pi 3 é produzido em 3 fábricas: Sony UK, Embest na china e Sony no Japão. O Raspberry Pi Zero que antes era produzido somente no Reino Unido tem também sua versão produzida pela Embest.

Quem sabe um dia veremos um Raspberry Pi Made In Brazil?

Fontes:
https://twitter.com/EbenUpton/status/808909554377519104/photo/1
http://elinux.org/RPi_HardwareHistory

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Lançado o Raspberry Pi Compute Module 3

Raspberry Pi Compute Module 3

Já era de conhecimento a existência do novo Raspberry Pi Compute Module 3. Ele havia aparecido em displays da NEC além da liberação dos datasheets do novo modelo.

Lembrando aos novatos que essa é uma placa de aplicação industrial, para desenvolvimento de produtos, ou seja, o foco não é o usuário final.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Atualização com alteração de segurança para o Raspbian, veja o que mudou

É fato que o sistema oficial Raspbian estava longe de ser seguro por padrão. Com as recentes notícias e preocupações em relação à utilização de dispositivos IoT para criação de botnets, a fundação Raspberry Pi resolveu se mexer e modificar o Raspbian.

É claro que o usuário também não ajuda. O fato de muitos não alterarem a senha padrão é um outro vetor de segurança, visto que o SSH vem ativo por padrão, embora não possa ser acessado de fora se estiver em uma LAN sem o redirecionamento da porta.

Outras questões como manter o sudo ativo para o usuário "pi" faz com que qualquer atacante que tenha acesso ao sistema possa virar root facilmente

A mudança